Verhoeven, o holandês provocador

Paul Verhoeven foi o cineasta que, muito abusado, apontou a câmara pra o que existe entre as pernas de Sharon Stone (Instinto Selvagem). Foi o sujeito que perseguiu o sexo e o escândalo de Showgirls e mostrou como efeitos visuais podem gerar figuras obscenas como os vermes de Tropas Estelares, ou personagens abusados como o cientista invisível e tarado de O Homem Sem Sombra.

Hollywood deu trela para esse holandês voador, enquanto os filmes rendiam dinheiro. Mas bastou dois fracassarem, e colocaram o cineasta na rua.

De lá pra cá, Verhoeven fez apenas quatro filmes, sendo que o último, Benedetta, sobre as memórias de uma noviça mal comportada, está sendo guardado pra apimentar nossa imaginação assim que acabar a Pandemia.

Enquanto esperamos, vale a pena fazer uma revisão nos dois últimos filmaços de Verhoeven, Elle (de 2016) e A Espiã (de 2006). Os dois estão acessíveis em streaming e se você quiser saber mais a respeito é só clicar nos títulos.

1 – Elle (2016)

2 – A Espiã (2006)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s