Balas Que Não Erram

Avaliação: 4.5 de 5.

No Name on the Bullet (1959)

O famoso pistoleiro John Gant (Audie Murphy) chega em Lordsburg, se instala num hotel e mexe com a consciência de metade da população. O que o matador realmente veio fazer na cidade? O banqueiro, um negociante, um jogador e um minerador ficam cada vez mais indóceis com a presença e pedem para o xerife expulsar o pistoleiro de Lordsburg, mas Gant ainda não fez nada que o desabone.

Gant, por sua vez, percebe o efeito que causa e torce e retorce os significados em palavras ambíguas, aumentando o desespero de todos que escondem algum tipo de delito.

Pequeno em escala, mas poderoso no impacto de seus propósitos, o filme segue em direções inesperadas. Jack Arnold, diretor também da obra-prima O Incrível Homem Que Encolheu, aqui desenha o retrato de uma sociedade que é bastante angustiante, dando ênfase a um universo sensorial (sobretudo, na troca de pontos de vista e no uso de efeitos de som). O filme é tenso e algumas vezes brutal, mas também revela certa ternura, ao colocar um médico, e não um xerife ou um juiz, como o único homem com firmeza para enfrentar o pistoleiro. No melhor momento do filme, os dois se estudam jogando uma partida de xadrez.

É o melhor dos westerns estrelados por Audie Murphy, e um dos mais autênticos dos anos 50.